Vargas, Chavela

San Joaquin de Flores (Costa Rica), 1919 - Cuernava (México), 2012

Isabel Vargas Lizano é considerada por muitos como a mais importante voz feminina da tradição rancheira mexicana, tradição identificada com a masculinidade, os charros (vaqueiros) e mariachis. Chavela costumava cantar vestida como um homem, fumando cigarros, bebendo e exibindo uma pistola e um característico poncho vermelho. Em uma entrevista televisiva em 2000, declarou abertamente ser lésbica.

Algumas fontes localizam seu nascimento na Costa Rica e outras no Estado de Guerrero, no México. De qualquer forma, porém, iniciou-se como cantora no México no início dos anos 1950, imersa na mais característica tradição mexicana. Foi adquirindo notoriedade por suas apresentações em salões e bares com José Alfredo Jiménez, um dos cantores de rancheiras mais famosos da época. Somente em 1961 produziu sua primeira gravação, e alcançou popularidade internacional nas duas décadas seguintes, ou seja, depois dos quarenta anos. Em 1979, retirou-se devido ao alcoolismo. Voltou à cena em 1990 ao aceitar um papel no filme do alemão Werner Herzog, A cry of stone. Um ano mais tarde trabalhou em Pensa em mim, trilha sonora do filme Tacones lejanos (De salto alto), de Pedro Almodóvar. Ainda em 2003, aos 83 anos, apresentou-se no prestigioso Carnegie Hall de Nova York.

Em 2009, foi lançado o livro Las verdades de Chavela, que discorre sobre a carreira e a vida pessoal da cantora em entrevistas conduzidas por Maria Cortina. Em 2010, Chavela lançou o álbum Por mi culpa e, em 2012, Luna Grande, em que declama poemas de Garcia Lorca. Despediu-se dos palcos numa apresentação em Madri em julho de 2012, aos 93 anos.

O termo chavelazo se incorporou ao espanhol como expressão passional “feminina” carregada da força emotiva “masculina”.

Conteúdo relacionado
Música
Costa Rica
Mariachi
México